Adriana Luz

Para sempre na areia...

Textos

BRANCO
... Hoje é dia 10 de abril de 2014. Não venha. Não olhe. Não estou... Não me reconheço como. Não me expresso sobre. Neste muito de espaço algum que me reservou num convite sem constrangimento nenhum:
"Para você, todo o meu espaço"... (em branco)
"Pode começar a registrar" ... (em todos os tons variados de possibilidades).
Mas, hoje, são dez.
Hoje, nem é dia...
Hoje, é só noite.
E o ontem... para o hoje:  
Não era permissão. Muito menos convite. Apenas uma maneira que houve,
havia,
haveria...
num dado
momento de...
haver-me...
escandalosamente, assim, de súbito:
- Ofereci-lhe e você acreditou...
- Pois é. Acreditei.  "Maldito papel que confia em outro papel".
- Pois é. Pois sim. Pois não. Pois bem. Agora aguarde. Salut!

*
*
Adriana Luz
Enviado por Adriana Luz em 10/04/2014
Alterado em 10/04/2014
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras