Adriana Luz

Para sempre na areia...

Textos


VIDA ÍMPAR...

Era ímpar, deveria ser ímpar, mas estava par...e em paz...

Um dia nenhum, para qualquer um...

Mas para os uns que nesse dia estavam
pelo dia nenhum, ele (o dia) virou algum...

E há algum tempo, que o algum faz tempo tempo...

Apenas momentos, registros e relembranças - eu disse.

_ Chega de registros, responderam-me....

E eu poderia, deveria, teria desobedecido mais....se na teimosia, teimasse melhor...

Achei que teimosia fosse defeito. E me curei.

Quem me dera não tivesse curado.

Sigamos.

(Adriana Luz)
Adriana Luz
Enviado por Adriana Luz em 03/03/2014
Alterado em 16/07/2014
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários

Tela de Claude Monet
Site do Escritor criado por Recanto das Letras